Concurso do Banco do Brasil: veja dicas de estudo para as provas | Concursos e Emprego

A repartição das vagas é a seguinte:

  • 2 milénio vagas para Escriturário – Agente Mercantil, mais 2 milénio de cadastro suplente, para atuação nas unidades de negócios em todos os estados e no Região Federalista;
  • 240 vagas de Escriturário – Agente de Tecnologia, e outras 240 para cadastro de suplente, com foco em Conhecimentos de TI, para vagas somente no Região Federalista.

Especialistas recomendam que os candidatos se preparem por meio de provas anteriores da carteira do concurso, a Cesgranrio, e estudem com base em material atualizado.

No vídeo inferior, saiba uma vez que ler editais e aprenda os principais pontos de atenção:

Concursos públicos: saiba como ler editais
Concursos públicos: saiba como ler editais

Concursos públicos: saiba uma vez que ler editais

Veja inferior dicas de estudo de Jefferson Rodrigues, diretor de Ensino do Qconcursos, e de Antonio Batist, técnico em gestão pública e empresarial e doutorando em governo pelo Coppead/UFRJ.

Preparação do ‘zero’

Batist alerta que os concursos do Banco do Brasil costumam atrair muitos candidatos e, neste momento difícil em termos de mercado e trabalho, a concorrência tende a ser ainda mais elevada.

“Mas isso não deve desanimar ninguém. Comece a estudar imediatamente, que é verosímil passar sim. Isso exigirá esforço, dedicação, materiais atualizados e principalmente uma boa estratégia de estudos. Com esse conjunto de fatores, fica mais fácil conseguir. Na verdade, esse concurso não é difícil e o perfil da Cesgranrio ajuda bastante.”

O técnico afirma que o candidato deve julgar sua verdade e fazer os ajustes para conseguir se destinar.

“Estudar notório, às vezes, é dissemelhante de estudar muito. Usar materiais atualizados é importante e é importante investir em meios de estudos com os quais se identifique. Há pessoas que estudam melhor em duplas ou grupos. Outras aprendem melhor sozinhas. Há aquelas que aprendem mais quando escutam o teor ou veem uma videoaula. Há aqueles que gostam de ler um registo em pdf na tela do computador. E há outros que preferem materiais impressos. Seja qual for a sua praia, tente surfar o melhor que puder”.

Diferenças em relação ao último edital

De convénio com Batist, a principal novidade do edital é a repartição do função de escriturário em duas nomenclaturas e com provas diferentes: Agente de Tecnologia e Agente Mercantil. O Agente de Tecnologia é focado em TI e as provas têm mais teor de exatas e de informática. Em seguida a aprovação, trabalhará na espaço de tecnologia do banco no Região Federalista.

O Agente Mercantil, por sua vez, é o bancário mais clássico (com foco em atendimento ao público, comercialização de produtos bancários e atividades administrativas). A prova tem mais foco na segmento bancária e mercantil, destaca Batist. Em seguida a aprovação, a maior possibilidade é atuar nas agências bancárias espalhadas por todo o Brasil.

Segundo ele, o edital anterior previa 30 vagas imediatas para o função de escriturário, com teor programático igual para todos os candidatos e classificação única. Para levante concurso, serão 2.240 vagas imediatas distribuídas entre Agente de Tecnologia, exclusivamente para o Região Federalista, e Agente Mercantil, para todo o Brasil. A classificação passa a ser pela microrregião e os conhecimentos específicos também mudam de convénio com a escolha do candidato no momento da letreiro.

Batist ressalta que o edital tem muitas semelhanças com o último de 2018 quanto à espaço de TI. Em relação à espaço mercantil, lembra os demais editais, exceto o de 2018.

“Uma tendência de modernização e atualização dos conteúdos vem sendo observada nos últimos editais e parece poderoso neste também. Ele prevê conteúdos que vão desde redes sociais até o PIX, por exemplo. É um teor mais modernizado e mais muito organizado que o dos editais anteriores, mas ao mesmo tempo preserva alguns conteúdos mais clássicos, uma vez que língua portuguesa e legislação aplicada”, observa.

Uma vez que serão as provas objetivas

A prova objetiva será de múltipla escolha com 70 questões, divididas entre disciplinas de conhecimentos básicos (25) e específicos (45).

Para Agente de Tecnologia e para Agente Mercantil, haverá a segmento básica da prova objetiva, com 25 questões, englobando Língua Portuguesa (10 questões com peso 1,5 = 15 pontos), Língua Inglesa (5 questões com peso 1,0 = 5 pontos), Matemática (5 questões com peso 1,5 = 7,5 pontos) e Atualidades do Mercado Financeiro (5 questões com peso 1,0 = 5 pontos). O valor totalidade de conhecimentos básicos é de 32,5 pontos.

Já a segmento específica da prova objetiva terá 45 questões e conteúdos diferentes entre os Agentes.

Os conhecimentos específicos para Agente de Tecnologia englobam Verosimilhança e Estatística (5 questões com peso 1,5 = 7,5 pontos), Conhecimentos Bancários (5 questões com peso 1,5 = 7,5 pontos), Tecnologia da Informação (35 questões com peso 1,5 = 52,5 pontos). O valor totalidade de conhecimentos específicos é 67,5 pontos.

Os conhecimentos específicos para Agente Mercantil são Matemática Financeira (5 questões com peso 1,5 = 7,5 pontos), Conhecimentos Bancários (10 questões com peso 1,5 = 15 pontos), Conhecimentos de Informática (15 questões com peso 1,5 = 22,5 pontos), Vendas e Negociação (15 questões com peso 1,5 = 22,5 pontos). O valor totalidade de conhecimentos específicos é de 67,5 pontos.

Batist explica que as disciplinas têm pesos diferentes. Por isso, o foco para Agente de Tecnologia deve ser na material de Tecnologia da Informação, que tem 35 questões e vale, sozinha, mais da metade (52,5) dos 100 pontos da prova objetiva inteira.

Rodrigues ressalta que, em conhecimentos básicos, as questões de Português e Matemática são as que valem mais pontos – 1,5 cada. Enquanto Língua inglesa e Atualidades do mercado financeiro valem 1,0 cada.

Já em conhecimentos específicos, todas as questões valem 1,5. “O que labareda a atenção é a quantidade de questões para cada material – 35 questões de Tecnologia da Informação para Agente de Tecnologia e 30 questões divididas também entre Vendas e Negociação e Conhecimentos de Informática”, afirma.

“A Instalação Cesgranrio é a carteira organizadora do concurso Banco do Brasil há vários anos. Portanto, treinar por meio das questões anteriores ajuda a verificar o padrão da carteira e também a estudar as possíveis pegadinhas utilizadas na linguagem da prova. Aliás, nas disciplinas com maior dificuldade, é importante reservar um tempo para a teoria. A união de teoria, prática por meio de questões e revisão é a trilogia ideal de estudos para a prova objetiva”, diz Rodrigues.

Redação é eliminatória

De convénio com Rodrigues, a redação será do tipo dissertativa-argumentativa. Isso quer expor que o candidato deve se posicionar sobre o tema apresentado. Por isso, é preciso prestar atenção aos critérios de correção da carteira, que são adequação ao tema proposto, adequação ao tipo de texto solicitado, ocupação tempestivo de mecanismos de coesão, capacidade de selecionar, organizar e relacionar de forma congruente argumentos pertinentes ao tema, domínio da norma padrão e avaliação da norma culta.

Batist ressalta que a redação tem valor supremo de 100 pontos e é necessário obter pelo menos 70 pontos para a aprovação. Serão corrigidas somente as redações de até o duplo do número de vagas do edital.

“Parece muito, mas não é, pois a concorrência será regionalizada por microrregião e macrorregião. Algumas regiões menores possuem poucas vagas. Importante observar que a redação não mudará a nota. Ela somente permitirá que o candidato não seja eliminado e possa continuar no concurso”, aponta.

Peculiaridades da carteira organizadora

Rodrigues explica que a Cesgranrio trabalha com provas de múltipla escolha, com 5 alternativas e somente uma resposta correta. São eliminados os candidatos com aproveitamento subordinado a 50% do totalidade da pontuação da prova e aqueles com aproveitamento subordinado a 50% em conhecimentos básicos ou conhecimentos específicos. “É importante permanecer prudente que, mesmo que consiga aproveitamento superior a 50%, zerar qualquer uma das disciplinas também elimina o candidato”.

Em Português, destinar um tempo maior em assuntos uma vez que tradução de textos, sintaxe, morfologia, pontuação e crase pode ser um diferencial, destaca Rodrigues.

Razões para a subida concorrência

Rodrigues aponta que o função de escriturário é a porta de ingresso no BB. “O salário e os benefícios são atraentes e, somados, chegam a R$ 4.508,40. Ainda há a possibilidade de participação nos lucros ou resultados da empresa, auxílio-creche e previdência complementar”, comenta.

A progressão de curso e profissionalização é oferecida por meio de uma universidade corporativa (UniBB), que conta com diversos cursos e certificações que possibilitam que o escriturário chegue até um função de gestão, destaca.

  • Leia o edital e esclareça suas dúvidas sobre ele. Fazer letreiro sem ter lido e entendido o edital pode ser um grande erro.
  • Invista em materiais atualizados de estudo, preferencialmente elaborados a partir do edital atual. Com esses materiais, você aprende a teoria e o teor.
  • A Cesgranrio costuma ter um nível mediano de dificuldade. Invista em resolver provas anteriores da carteira e simulados com estilo semelhante, principalmente provas do Banco do Brasil que a instituição elaborou em concursos passados. Resolva as provas anteriores para ter teoria do estilo de perguntas e para perceber os assuntos mais frequentes, mas atualize-se por meio de outros materiais.
  • Para Agente de Tecnologia, a melhor referência é a prova do edital de 2018, que tem muitas similaridades com a previsão de prova para 2021. Para Agente Mercantil, ideal é revisar os demais concursos do BB, com menor espaço para o de 2018. Com as provas anteriores e exercícios, você pratica o que estudou na teoria e vai corrigindo seus pontos fracos.

Dicas gerais de Rodrigues

  • Se planejar parece trivial, mas requer autoconhecimento e disciplina. O primeiro passo é ler com bastante atenção o edital do concurso e verificar em quais matérias tem maior dificuldade.
  • Definir um cronograma de estudos e dividir as matérias podem ajudar a manter a regularidade. Estabeleça metas e prazos curtos. Zero de metas ousadas no início. Isso vai ajudar a ter a percepção de progresso e a evitar frustrações que podem minar a motivação ao longo do tempo. Desafie-se aumentando um pouco as metas sempre que atingir o objetivo.
  • Não se esqueça de dormir muito, porque é nesse momento que fixamos todo o conhecimento. E não deixe de separar qualquer tempo para o lazer para sempre chegar no momento de estudo com a cabeça mais fresca.
  • Não deixe para estudar tudo na última hora. Manter uma regularidade de estudos, praticando com questões anteriores e revisando seus erros é fundamental para que todo o teor seja absorvido.
  • Organize-se no dia da prova, chegue com antecedência para dar tempo de a adrenalina minguar e ter calma suficiente para resolver a prova com transparência. Uma boa sustento e uma boa noite de sono vão ajudar os candidatos a chegar dispostos para a prova.

you are watchingt: Concurso do Banco do Brasil: veja dicas de estudo para as provas | Concursos e Emprego
Source Website: https://sacaairports.org
Categoría: brasil

Leave a Reply