Festa junina nas regiões do Brasil: como é comemorada?

Você sabia que a sarau junina nas regiões do Brasil tem características próprias?

Vamos saber detalhes sobre os eventos país afora!

Festa junina na Região Setentrião

A sarau junina na Região Setentrião começa em junho, mas os festejos em relação aos santos vão até dezembro, quando o calendário se encerra com o dia de São Benedito. 

Aliás, é generalidade que, nesses eventos, haja encenação de lendas locais, como a do boto que seduz mulheres à extremo do rio. 

Nas suas casas, a população faz fogueiras no quintal para reunir a família e amigos ao volta e sovar papo até que o incêndio se apague. 

Mas tem muito mais na celebração, é simples. Vamos recontar tudo para você sobre a sarau junina na Região Setentrião!

Comidas

Os pratos típicos da região se somam aos quitutes típicos da sarau junina nas regiões do Brasil. 

Portanto, a comemoração por lá não tem só milho verdejante, pé de moleque, cocada e bolo de milho, como também bolo de macaxeira, cuscuz, mungunzá, tacacá e doces feitos a partir de frutas amazônicas.

São verdadeiras delícias!

Música

Quando a música toca na sarau junina na Região setentrião, os participantes vestidos de caipira e matuto se empolgam com os ritmos locais. 

Além do forró, marca registrada do evento, o carimbó (gênero de dança de roda com origem indígena e típico da região) também marca presença.

E, é simples, não dá para olvidar do boi bumbá, uma tradição regional que existe desde os tempos do Brasil colônia. 

Também chamado do bumba-meu-boi, essa mistura entre apresentação músico e teatro põe o povo para dançar com a presença de personagens, encenação do renascimento do boi e de disputas entre o Boi Guardado e o Boi Caprichoso.

Festa junina na Região Nordeste

Nascimento da sarau junina nas regiões do Brasil, o Nordeste recebe o período junino com fogueiras nas praças e ruas inteiras decoradas de bandeirinhas. 

Sem incerteza, essa é a maior sarau da região e também a mais abrangente, chegando a mais cidades e com costumes espalhados por seus estados.

Assim como aconteceu pelo resto do país, a sarau junina na Região Nordeste deu origem a algumas tradições locais. 

Em Planície Grande, na Paraíba, por exemplo, é tradição viajar durante a sarau em um trem pleno de músicos, onde acontece um grande bailão nos vagões. 

Já em Estância, no estado de Sergipe, há o Embarcação de Queimação, uma embarcação de madeira, toda decorada e que desliza em um cabo de aço sobre a sarau, movida por um estonteante espetáculo de fogos guardados no seu interno.

Vamos ver o que mais tem para você curtir na sarau junina na Região Nordeste.

Comidas

A sarau junina nas regiões do Brasil não é a mesma sem os pratos típicos do Nordeste. 

Por lá, você encontra no menu a canjica, o arroz-doce, a pamonha, o bolo de milho, o pé de moleque, entre vários outros pratos deliciosos.

Roupas

O nascimento da sarau junina no Brasil respeita até hoje a tradição das vestimentas. No Nordeste, as mulheres vestem vestidos “caipira” coloridos, com estampas como o xadrez ou o floral, com fitas e tecidos como a chita. 

Já os homens usam as vestes que representam o matuto, como camisas xadrez, chapéus de palha e calças com remendos. 

O hábito de usar essas fantasias na sarau é muito disseminado.

Música e dança

A sarau junina na Região Nordeste é um grande evento no ano.

O forró toca sem parar por dias, em festas que ocupam todo o mês de junho, marcadas por apresentações de quadrilhas com a coreografia organizada para dar espaço a dezenas de dançarinos. 

Festa junina na região Meio-Oeste

No Meio-Oeste, o festejo se difere um pouco das demais nas regiões do Brasil. 

Por lá, a cultura de lavagem dos santos ainda é muito presente e se caracteriza como um momento de pedir proteção aos protetores, o que reforça o caráter religioso da celebração.

Para esse momento do evento, são realizadas apresentações de cantores de cururu, um ritmo típico da região, que usa instrumentos como caracaxás, cocho, tamborins e marimbas.

Mas tem mais para você saber sobre a sarau junina na Região Meio-Oeste.

Trilha sonora

Em termos de música, o sertanejo, os desafios de rima de violeiros e a polca (dança típica alemã) entram em cena para disputar as atenções com o tradicional forró.

Trajes

Cá, os típicos trajes de matuto dividem o espaço da celebração com a indumentária de estilo sertanejo, que é um visual inspirado nos caubóis e nos peões.

Quitutes

Quando o tópico é gastronomia, no Meio-Oeste, as comidas de sarau junina tradicionais até aparecem, mas vários pratos locais também ocupam destaque.

Entre eles, estão a sopa paraguaia, uma espécie de bolo de queijo herdado pela proximidade com o país fronteiriço.

Outros exemplos são a farofa de banana, a Maria Isabel (prato a base de arroz), o caldo de feijoeiro, o revirado cuiabano (uma espécie de cozido de músculos), a paçoca de pilão, o escaldado cuiabano (como se fosse um pirão) e o pixé (guloseima a base de milho).

Festa junina na Região Sudeste

A sarau junina sempre vai variar um pouquinho, mas, na Região Sudeste, ela é muito parecida com a celebração nordestina.

Uma das diferenças é a quantidade de brincadeiras no festejo. 

Entre elas, estão o correio do paixão (onde é verosímil mandar mensagens anônimas ou não para um pretendente), a pescaria, as rifas, o jogo de tentar atingir argolas em pinos espalhados pelo pavimento, entre várias outras.

Acompanhe, a seguir, mais detalhes do arraial no Sudeste.

Músicas

As grandes estrelas do show são o forró, as danças de quadrilha e as músicas típicas de festas juninas no Brasil, como “Olha pro firmamento”, “Festa do interno”, “O sanfoneiro só tocava isso”, “Pagode russo” e “Pula fogueira”.

São Paulo, porém, tem uma presença possante também da música sertaneja, por conta da proximidade com a região Meio-Oeste, onde ela é mais generalidade.

Comidas 

O que se come no arraial do Sudeste é muito próximo da gastronomia típica da sarau junina nas regiões do Brasil, em peculiar da nordestina. 

Ou seja, é verosímil encontrar milho cozido, pamonha, quentão, cocada, pé de moleque, maçã do paixão, entre outras delícias.

Porém, alguns outros pratos locais aparecem na sarau junina na Região Sudeste, como o crepe no palito, o salsichão, o churrasquinho, o queijo coalho, o pastel de feira, o cachorro-quente e o espetinho de morangos cobertos com chocolate.

Trajes típicos

No Sudeste, a indumentária do arraial repete o vestido de caipira e o traje de matuto generalidade das demais regiões do Brasil. 

É fácil também encontrar mulheres com as bochechas com pintinhas e usando tranças nos cabelos, enquanto os homens fazem bigodes e sobrancelhas grossas com lápis.

Novamente, São Paulo é um ponto fora da curva, com uma presença massiva da cultura sertaneja. 

Por isso, a roupa semelhante à dos peões de boiadeiro é também muito presente.

Festa junina na Região Sul

A sarau junina na Região Sul é uma das mais diferentes do país e tem quase uma cultura privado. 

Para inaugurar, os sulistas celebram no dia 29 de junho também o dia de São Paulo, além da homenagem a São Pedro. 

Veja o que mais diverge nos costumes dessa região em relação às demais quando o tópico é sarau junina.

Trajes típicos

O destaque vai principalmente para a sarau no Rio Grande do Sul.

Nas roupas, os homens usam o típico traje de gaúcho, com bombachas, botas, camisa, bandana no pescoço e chapéu. 

Já as mulheres usam o chamado vestido de prenda (vestimenta também típica, mas agora para a mulher). Esse traje feminino geralmente vai até o tornozelo, não possui decote, tem mangas compridas ou no sumo nos cotovelos, é feito de tecidos lisos ou com estampas muito discretas, além de apresentar bordados, rendas, botões revestidos e outros detalhes.

A intensidade da cor do vestido e da estampa vai variar com a idade da mulher, mas existem algumas proibições. 

Não é verosímil, por exemplo, usar tecidos transparentes ou brilhosos, assim como não é indicado usar as cores da bandeira do Rio Grande do Sul, nem a cor preta. 

O branco deve ser deixado para as noivas.

Músicas e danças

A sarau junina na Região Sul também difere totalmente do que é visto nos demais estados em termos de tradição músico. Por lá, os ritmos mais comuns são o vanerão, o chamamé e o xote gaúcho. Dois desses estilos têm influência da colonização alemã na região.

Já a dança das fitas, generalidade por lá, é de origem europeia. 

E o chamamé é um estilo músico original da Argentina e muito ouvido também no Paraguai. Ele mistura influências da cultura indígena, criolla (filhos de espanhóis nascidos na América Latina), argentina e europeia.

Gastronomia

Muito da sarau junina nas regiões do Brasil se repete no cardápio no Sul, como a pipoca, o mendubi e a canjica. 

Porém, vários pratos da cultura regional também foram incorporados, como é o caso do churrasco, dos diversos preparos de pinhão, do sagu de vinho, da cuca, do arroz de carreteiro e do feijão-mexido.

you are watchingt: Festa junina nas regiões do Brasil: como é comemorada?
Source Website: https://sacaairports.org
Categoría: brasil

Leave a Reply