Regina Duarte, de Namoradinha do Brasil a Viúva Porcina e muitos outros papéis

Atriz, que completa 70 anos, desde a dez de 60 estrela novelas que marcaram a teledramaturgia brasileira, uma vez que “Selva de Pedra”, “Vale tudo” e “Roque Santeiro”

Marina Branco*

Foi em Campinas que Regina Blois Duarte iniciou sua curso artística, tornando-se atriz amadora no TEC (Teatro do Estudante de Campinas), aos 14 anos, ao interpretar o papel principal do “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna. Nascida em 5 de fevereiro de 1947 em Franca, onde viveu até os 6 anos, Regina era filha do militar Jesus Duarte e da professora de piano Dulce Blois e tinha cinco irmãos. Porquê era geral às moças da idade, fez aulas de balé clássico. Mas seu interesse pelo teatro levou-a, também, a fazer cursos de recitação com Maria Silvia Ferraz Silva e Eugênio Kusnet. Nos anos seguintes, começou a estrelar comerciais para a televisão.

Seu carisma nos comerciais levou-a rapidamente para as novelas. A primeira, em 1965, foi “A divindade vencida”, de Ivani Ribeiro, na TV Excelsior. No mesmo ano, estrelou no teatro “A megera domada”, sob a direção de Antunes Fruto. A atriz chegou a cursar, por um ano, a Faculdade de Informação na USP, mas trancou o curso em seguida receber o invitação para estrelar “Véu de prometida” (1969), na Rede Orbe. Em 1971, em seguida “Minha guloseima namorada”, Regina começou a ser chamada de Namoradinha do Brasil, reforçado a cada novo papel de mocinha ingênua nas novelas, o que incomodava a artista, que buscava papeis mais complexos.

Essa ruptura só foi sobrevir quando estrelou o seriado Malu Mulher em 1979, uma série que questionava valores conservadores, em que interpretava uma mulher divorciada e independente, uma vez que mostra a reportagem do GLOBO de 24 de maio de 1979. Dois anos antes, a atriz chegara a gravar alguns capítulos de “Despedida de casado”, proibida pela increpação da idade, que mostraria a atriz enfrentando um enlace em crise. Regina ainda participou de outros programas que envolviam o universo feminino, uma vez que o “Mulher 80”, que exibia entrevistas e musicais que tinham uma vez que tema médio a mulher e seu papel na sociedade.

Leia mais:  Estados do Brasil: capitais, siglas, dados gerais

Ao longo da sua curso, Regina Duarte deu vida a personagens antológicos na TV, uma vez que Simone Marques, de “Selva de Pedra”, Raquel Accioli, de “Vale tudo”, Maria do Carmo, de “Rainha da Sucata”, Viúva Porcina, de “Roque Santeiro”, além das Helenas de “História de Paixão” (1995), “Por paixão” ( 1997) e “Páginas da vida” (2006), as três últimas de Manoel Carlos.

Regina retornou à TV em 2011 para viver Clô Hayalla no remake de “O planeta”. Em seguida desistir de um papel em “Boogie Oogie”, Regina fez uma participação em “Poderio” e o papel de uma homossexual em “Sete vidas”. Em 2016, a atriz aceitou o papel de Suzana, para contracenar com Tarcísio Meira em “A lei do paixão”.

A artista também sempre esteve envolvida com política. Simpatizante do PSDB, participou ativamente de campanhas uma vez que a de Fernando Henrique Cardoso para prefeito de São Paulo, em 1985. Em 2002, durante a campanha para as eleições presidenciais, a atriz provocou polêmica ao declarar que apoiava o candidato José Serra por ter “temor” do que o candidato Lula pudesse fazer na Presidência do país. Recentemente, posou ao lado do prefeito João Dória, quando ele resolveu varrer as ruas de São Paulo, vestido de gari. Atualmente, Regina tem atuado a obséquio dos ruralistas na questão da demarcação de terras.

Regina sempre foi discreta em relação à sua vida pessoal: ela tem três filhos (André, Gabriela e Ricardo) e seis netos (Manuela, Frederico, Théo, Isadora, João Gabriel e Antônio). André e Gabriela são frutos do seu enlace com o engenheiro Marcos Franco, enquanto João Ricardo nasceu de seu enlace com o publicitário prateado Daniel Gomez. Atualmente ela é casada com o pecuarista Eduardo Lippincott.

Leia mais:  Qual o menor estado do Brasil? Descubra!

* com edição de Matilde Silveira

Par romântico. Regina Duarte contracena com Antonio Faagundes em

Par romântico. Regina Duarte contracena com Antonio Faagundes em “Vale tudo” Irineu Barreto Fruto 28/06/1988 / Escritório O Orbe

Ensaio. A atriz posa para uma reportagem do Jornal Extra.

Tentativa. A atriz posa para uma reportagem do Jornal Extra. Simone Marítimo 29/01/2007 / Escritório O Orbe


you are watchingt: Regina Duarte, de Namoradinha do Brasil a Viúva Porcina e muitos outros papéis
Source Website: https://sacaairports.org
Categoría: brasil

Leave a Reply